Porquê SAEntista?



* Trata-se de um neologismo da autora, que diz respeito ao enfermeiro cientista, estudioso em relação à sua própria ferramenta de trabalho que é a SAE !





Quem gerencia este espaço?



* Dra.Josianne Corrêa Cardoso, Enfermeira em Belém do Pará. Trabalha na área desde 1997 (UEPA) , sendo pós graduada em Oncologia (UEPA) e Mestre em Gestão de Organizações Públicas (NAEA-UFPA).

Atualmente é supervisora de Enfermagem (HUBFS), além de ser Auditora Interna de Prontuários de Óbitos (HOL).



* Estudiosa no assunto, coleciona livros sobre a SAE e costuma proferir palestras em locais diversos sobre o tema.





Porquê a criação deste espaço?



* Compreendendo a dificuldade de alguns enfermeiros em adquirir livros sobrea a SAE, aliado à escassez de tempo que eles têm para se desenvolver no assunto, resolveu-se dar esta pequena contribuição, repassando o que se conseguiu aprender ao longo destes anos.



Um abraço carinhoso a todos os visitantes deste espaço!





segunda-feira, 26 de julho de 2010

Sobre Prescrição de Enfermagem

Trago - lhes uma historinha de um fato ocorrido comigo numa certa clínica :
"Uma jovem cliente, cardiopata , considerada uma verdadeira bomba - relógio . Quem a via, nem imaginava a gravidade da sua patologia valvar.
Em auto - Cuidado , hemodinamicamente estável , normocorada, fácies alegre, biotipo normal, enfim ... Bem cuidada . Sem uma mínima aparência de cliente .
Precrevo- lhe:
- Manter repouso relativo no leito (T M N)
- Manter o2 úmido montado ( sem água ) na cabeceira do leito ( ATENÇÃO )
- Aferir e anotar TPR e PA (10 16 22 6 e S / N )
- O2 Instalar úmido por cateter nasal , 3l/min (S/N)
- Se mal estar geral , acionar a enfermeira plantonista ( RIGOROSO )
- Auxiliar nos cuidados higiênicos gerais (quando necessário )
- Orientar e supervisionar para que não faça esforço físico (T M N)
- Observar e anotar a perfusão capilar periférica ( M T N)
Pois bem .
Para um técnico de enfermagem pode parecer que eu estava " enchendo linguiça ", Ou mesmo até " dando trabalho " desnecessário para o mesmo .
É por isso que nós , enfermeiros, precisamos fazer a chamada " educação em Serviço ", pois é relativamente recente uma inserção da SAE nsa cursos de Técnicos de Enfermagem .
E além do mais, é mais fácil adquirirmos a adesão dos técnicos de enfermagem, quanto a respeitarem e executarem as nossas prescrições.
A referida cliente possuía o seguinte problema colaborativo:
CP: Valvulopatia cardíaca grave ( insuficiência mitral)
Pronto, basta isso para que eu reconheça que, a qualquer momento essa cliente possa passar muito mal ou0 até mesmo sucumbir .
E sabendo disso , elaborei as prescrições de enfermagem.
E quais seriam os resultados esperados, para que consigamos deixar esse cliente sem risco de agravo e fiquemos atentos e preparados se a mesma agravar? E, finalmente, estabelecer padrões de monitorização quanto a sua CP?.
Se eu escrevesse que a cliente estava simplesmente em auto-cuidado, como parecia, seria tratada como uma qualquer, sem cuidados específicos; como se estivesse aguardando uma cirurgia eletiva.
Ela estava esperando, na verdade, uma toracotomia para colocação de válvula cardíaca metálica ( prótese ).
O que me chateou no plantão, foi saber que a cliente foi sozinha para a divisão de diagnóstico por imagem. E mais, desceu escadas - menos pior , subindo as mesmas ao voltar para a clínica. No mínimo imprudência para a equipe de enfermagem, não?
Para a nossa sorte, nada de ruim ocorreu com ela. Mas foi o suficiente para que eu fizesse uma reunião relâmpago na clínica , para expor os riscos da situação .
Detalhe: eu não era lotada nesta clínica e estava cobrindo apenas a falta de uma colega de trabalho.
Voltando para a SAE, em suma: de acordo com a minha diagnose, faço a minha prescrição de enfermagem, tendo em vista os resultados esperados. Passado um tempo, estipulamos quais os resultados obtidos, na nossa evolução de enfermagem, que consiste na avaliação".
Entenderam? Gostaram? Espero seu comentário.

5 comentários:

Enfa. Rosário disse...

Muito importante sua ação em digulgar a SAE e tentar colocá-la em prática. É um desafio que todos nós, colegas enfermeiros, deveríamos assumir para fortalecer nossa profissão e melhorar a qualidade do cuidado prestado ao cliente. Parabéns pela iniciativa!

Nenenzito2009. disse...

Vc não é do RJ?
Pois aqui o SAE não funciona em hospital nenhum, é um sonho de consumo nosso, mas passarinho sozinho não faz verão. O nosso conselho aqui é fraquíssimo, inclusive, as Instituições daqui não tem interesse algum na melhora da qualidade do serviço de enfermagem, só querem saber de resultados ($$$), já nos hospitais públicos, pior ainda.
Precisamos mais de pessoas assim como vc, pois já pensei, divulguei a idéia, mas eles acham que enfermeiros são apenas cumpridores de ordens médicas, não temos oportunidade nenhuma, visto que isso não "gerará" lucros para o hospital. Infelizmente essa é a nossa realidade, mas torço para que melhore.
Gostaria de parabenizá-la pelo blog, é excelente a sua divulgação!

Ana Cláudia disse...

De muita valia este seu post,se os técnicos não forem capacitados e não reconhecerem a importância da SAE vão achar que é perda de tempo suas precrições,para eles prescrição é so de médicos!Sou acadêmica de enfermagem e estou amando seu blog,afinal de contas,amo a SAE ela é o futuro da enfermagem!

SAÚDE NO ZEPA disse...

Gostei muito desse espaço e como enfermeira, agradeço sua iniciativa. Não deixei de observar alguns comentários e percebo que outras tantas colegas também aprovaram, sim a maioria dos serviços ainda não valorizam o nosso trabalho, mas não os culpo, quem tem que valorizar primeiro são os próprios enfermeiros, fazendo suas atividades sem tá se preocupando com reconhecimento de ninguém além de si mesmos, se fosse assim muita coisa seria diferente inclusive o respeito a nossa profissão.

Academico de Enfermagem Leonardo disse...

Oi, adorei o teu blog, ainda estou na universidade, 3º semestre, mas percebo desde já que a SAE realmente muda de forma total o empenho e a qualidade do serviço prestado àos pacientes que chegam ao hospital e se entregam, na sua grande maioria, às mãos de nós profissionais da saúde.
Parabéns pela tua iniciativa, é sempre bom saber e ver Brasil a fora ainda mais em outros Estados, que existem tantas pessoas que lutam e pensam de forma parecida.

Parabéns e sucesso na caminhada de todos que deixaram comentários aqui.