Porquê SAEntista?



* Trata-se de um neologismo da autora, que diz respeito ao enfermeiro cientista, estudioso em relação à sua própria ferramenta de trabalho que é a SAE !





Quem gerencia este espaço?



* Dra.Josianne Corrêa Cardoso, Enfermeira em Belém do Pará. Trabalha na área desde 1997 (UEPA) , sendo pós graduada em Oncologia (UEPA) e Mestre em Gestão de Organizações Públicas (NAEA-UFPA).

Atualmente é supervisora de Enfermagem (HUBFS), além de ser Auditora Interna de Prontuários de Óbitos (HOL).



* Estudiosa no assunto, coleciona livros sobre a SAE e costuma proferir palestras em locais diversos sobre o tema.





Porquê a criação deste espaço?



* Compreendendo a dificuldade de alguns enfermeiros em adquirir livros sobrea a SAE, aliado à escassez de tempo que eles têm para se desenvolver no assunto, resolveu-se dar esta pequena contribuição, repassando o que se conseguiu aprender ao longo destes anos.



Um abraço carinhoso a todos os visitantes deste espaço!





terça-feira, 31 de maio de 2016

Conselho Administrativo da NANDA-I

Conselho Administrativo

Presidente
Dorothy Jones, PhD, RN, FNI, FAAN
 

Membros
Jeffrey Adams, PhD, RN
(NANDA Internacional Tesoureiro-Secretário)

Kay Avant, PhD, RN, FNI, FAAN

Lynda Juall Carpenito, MSN, CRNP, FNI

Dorothy DeMaio, EdD, RN, FAAN

T. Heather Herdman, PhD, RN, FNI
(Director NANDA International Executive)

Marge Lunney, PhD, RN, FNI

Professor Dickon Weir-Hughes, FNI
(NANDA Internacional Ex-Presidente)

Marjory Gordon, Ph.D., RN, FNI, FAAN

* Tradução pelo Google
Dr. Marjory Gordon morreu em 29 de abril, 2015, em Boston, Massachusetts (EUA). Gordon ganhou título de bacharel e mestre de ciência graus de Hunter College, Universidade da Cidade de Nova York e um grau de doutoramento do Boston College.
Em 1982, ela tornou-se o primeiro presidente da NANDA, o North American Nursing Diagnosis Association. Ela era o princípio investigador em projectos de investigação que envolvam processo de enfermagem e diagnósticos de enfermagem, e co-diretor de um Serviço de Saúde Pública Grant EUA para melhorar raciocínio diagnóstico e ético dos enfermeiros. Gordon era professora emérita da Universidade de Boston, onde passou 23 anos no corpo docente da Escola de Enfermagem de Cornell. Ela era um membro da Academia Americana de Enfermagem, e em 2009 foi honrado por ser nomeado como uma lenda viva da Academia. Em 2008, Gordon recebeu o Prêmio do Mentor da NANDA-Internacional; ela estava entre os membros da classe inaugural de Nanda internacionais Fellows empossados ​​em 2012. Ela também recebeu as enfermeiras Massachusetts Award Education Association; Sociedade Japonesa de Distinguished Service Award Diagnóstico de Enfermagem ", e da Associação de enfermeiras Living Legend Award, entre outros prêmios numerosos demais para mencionar Massachusetts.
Sr. Callista Roy, ofereceu este depoimento de Gordon no American Academy of Living Legend cerimônia de premiação de enfermagem: "Ela começou este trabalho [de criar uma linguagem de enfermagem comum] quando os computadores estavam apenas começando E agora, esta é a base para a enfermagem. componente do prontuário eletrônico. acho que ela é um modelo para todos nós. ela está constantemente elevando os padrões e a clareza do diagnóstico de enfermagem de modo a dar enfermagem uma voz e visibilidade na área da saúde. " Ela ligou para Gordon um "candidato perfeito" para a atribuição Living Legend, porque o seu trabalho ", que começou há 40 anos é ainda mais relevante hoje. Enfermagem como disciplina é mais forte em os EUA e ao redor do mundo por causa de seus esforços."
Seu papel em nossa associação era crítica - como seu primeiro presidente, presidente de seu Comitê de Desenvolvimento Diagnóstico, um membro do conselho - e como uma voz sempre presente para diagnósticos de enfermagem padronizados que iria apoiar a tomada de decisão clínica. O fato de que ela insistiu em critérios de diagnóstico para apoiar que o pensamento crítico - antes da introdução de tecnologia ou de registos de saúde electrónicos - é uma prova de sua visão, bem como sua percepção da necessidade de precisão no diagnóstico de conduzir qualidade, assistência ao paciente seguro.

quinta-feira, 19 de maio de 2016

NNN Consult

Curiosos sobre as possibilidades de utilização da aliança NNN?
Clique no link abaixo e se deleite!

http://biblioteca.ucm.es/data/cont/media/www/pag-21364/Guia%20NNN%20Consult%20Planes.pdf

Quer saber mais sobre o programa?



quarta-feira, 6 de abril de 2016

Processo de Enfermagem: Guia para a Prática (COREN-SP)

O Conselho Regional de Enfermagem de São Paulo – COREN-SP, gestão 2015- 2017, emitiu no final do ano passado a publicação “Processo de Enfermagem: Guia para a Prática”. 
O mesmo é fruto dos debates e conclusões do GT sobre a SAE do COREN-SP, visando encorajar a reflexão sobre a aplicação e o aprimoramento dessa ferramenta no dia a dia do profissional.

Acesse o link abaixo:

http://portal.coren-sp.gov.br/sites/default/files/SAE-web.pdf?platform=hootsuite

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

Telma Ribeiro Garcia Enfermeira. Diretora do Centro para Pesquisa e Desenvolvimento da CIPE® do Programa de Pós-Graduação em Enfermagem, Centro de Ciências da Saúde, Universidade Federal da Paraíba (PPGENF-CCS/UFPB) " Ao completar 25 anos de existência, a CIPE® mantém o objetivo de facilitar a representação do domínio da prática profissional da Enfermagem em todo o mundo e em todos os níveis de apoio à informação, com base em dados para uso na assistência clínica, administração, educação e pesquisa de Enfermagem. "

 
"Os catálogos não substituem o juízo de Enfermagem.O parecer clínico e a tomada de decisão do enfermeiro serão sempre essenciais para a prestação de cuidados individualizados aos doentes e às respectivas famílias. Estes não podem ser substituídos por qualquer instrumento. Mais exactamente,os enfermeiros podem utilizar um ou mais catálogos como instrumentos na documentação da sua prática".

http://www.ordemenfermeiros.pt/publicacoes/Documents/linhas_cipe.pdf

CIPE 2013

Para quem quiser obter mais conhecimentos sobre esta classificação, eis o livro. Ainda não possuo, mas acredito que vale à pena conferir.
"Neste livro estão reunidos aspectos teóricos e de aplicação da Classificação Internacional para a Prática de Enfermagem (CIPE®) em cenários da prática profissional, o que o torna útil tanto a profissionais comprometidos com a sistematização e, em especial, com o registro das informações inerentes ao processo de cuidar como a todos aqueles dedicados ao estudo e à aplicação desse sistema de classificação, seja na assistência clínica, administração, educação ou pesquisa de enfermagem.
Fonte de referência potencial sobre o assunto, a obra divide-se em Linguagens de especialidade e a prática profissional, Aplicabilidade da CIPE® em cenários da prática profissional no Brasil e Tradução da CIPE® Versão 2013"


São Comentários da especialista no assunto: 

Enfermeira. Diretora do Centro para Pesquisa e Desenvolvimento da CIPE® do Programa de Pós-Graduação em Enfermagem, Centro de Ciências da Saúde, Universidade Federal da Paraíba (PPGENF-CCS/UFPB)
" Ao completar 25 anos de existência, a CIPE® mantém o objetivo de facilitar a representação do domínio da prática profissional da Enfermagem em todo o mundo e em todos os níveis de apoio à informação, com base em dados para uso na assistência clínica, administração, educação e pesquisa de Enfermagem. "
 


quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

SAE no Trnasplante Renal

Este trabalho (link abaixo) é muito rico em informações. Mas, penso que nestes casos, temos mais Riscos de Complicação (RC) do que DE propriamente ditos.
Quando não trabalhamos com RC, a tendência natural é estipularmos mais DE do que se deveria, na busca de respaldar todas as Intervenções de Enfermagem.
Boa leitura!

https://deploy.extras.ufg.br/projetos/fen_revista/v11/n2/pdf/v11n2a11.pdf 

Evento 2016




http://abeneventos.com.br/12sinaden/#programacao

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

Responda para si

- Qual a relação entre os Padrões: 
* De Respostas Humanas (Taxonomia I da NANDA) > PRH
* Multiaxiais de Saúde (Taxonomia II da NANDA-I) > PMS
* Necessidades Humanas Básicas (Horta) > NHB
* Funcionais de Saúde (Carpenito) > PFS
* Divisões Diagnósticas (Doenges e Mohouse)? > DD
- Para que servem esses Padrões?

PENSE, RESPONDA E DEPOIS SIGA ABAIXO!
















Bom, cada autor de cada manual utiliza estes padrões para organizar o instrumento de coleta de dados

Serve também para organizar os mais de 200 DE existentes!

Seria muito ruim procurar DE por ordem alfabética. Por Padrão, fica muito mais fácil localizar!

Vale ressaltar  que todos estes manuais tem por base a taxonomia da NANDA - I. 

E geralmente, a cada revisão da NANDA-I, cada autor também revisa o seu manual!

Diagnósticos de Enfermagem da NANDA Internacional: Definições e Classificação 2015-2017



COMPRE AGORADiagnósticos de Enfermagem da NANDA Internacional: Definições e Classificação 2015-2017 é o guia definitivo para diagnósticos de enfermagem, revisado e aprovado pela NANDA-I. A nova edição 2015-2017 deste recurso internacionalmente reconhecido foi completa e rigorosamente atualizada e revisada. Cada um dos 235 diagnósticos apresentados são apoiados por definições, bem como características definidoras e fatores relacionados, ou fatores de risco. Cada diagnóstico novo e revisado é baseado nas mais recentes evidências globais, e aprovado por experts em diagnósticos, pesquisadores e educadores da enfermagem.

A NOVA EDIÇÃO 2015-17 oferece:
  • Todos os capítulos introdutórios são escritos em um nível de graduação em enfermagem, e fornecem informações essenciais necessárias para que os enfermeiros entendam a coleta de dados/avaliação, sua ligação com o diagnóstico, o propósito e o uso da estrutura taxonômica para o enfermeiro à beira leito. Eles fornecem o complemento perfeito para os cursos de fundamentos de enfermagem, raciocínio clínico e processo de enfermagem.
  • Um site complementar traz apresentações adequadas para sala de aula e/ou tarefas para os alunos, incluindo o Básico em Diagnósticos de Enfermagem, o Básico da Taxonomia e Coleta de dados para o Diagnóstico.
  • Um novo capítulo, concentrando-se em Perguntas Mais Frequentes, representando as perguntas mais comuns recebidas por meio do site da NANDA-I, e em conferências globais.
  • 25 novos diagnósticos de enfermagem e 13 diagnósticos revisados - cada um baseado nas últimas evidências globais e aprovado por experts em diagnósticos, pesquisadores e educadores da enfermagem.
  • Inclui referências para todos os diagnósticos submetidos ou revisados desde 2009.
  • Padronização dos termos indicadores de diagnóstico (características definidoras, fatores relacionados, fatores de risco) para adicionar clareza.http://www.nanda.org/nanda-internacional-definicoes-e-classificacao.html